O que é Inteligência Artificial?

A Inteligência Artificial ou apenas IA (também conhecida como AI – do termo inglês Artificial Intelligence) pode ter diferentes definições. De maneira geral, pode ser explicada como sendo aquela apresentada por softwares e outros mecanismos, porém com similaridades à inteligência humana.

Também é possível defini-la como um ramo de estudos e pesquisas da Ciência da Computação, campo responsável pelo desenvolvimento de novas tecnologias capazes de simular o raciocínio humano.

Estudar e projetar agentes inteligentes – sistemas que percebem o ambiente e tomam atitudes que aumentam suas chances de sucesso ao máximo – é um dos objetivos centrais das pesquisas relacionadas a ela, assim como fazer com que computadores e outros dispositivos “pensem” como seres humanos e se tornem capazes de raciocinar e analisar diferentes situações em busca de uma resposta ou de um resultado.

Seu desenvolvimento não se limita a resolver problemas matemáticos ou apresentar soluções racionais: estudos da área almejam criar sistemas capazes de aprender e evoluir criando novas deduções a partir de informações fragmentadas, como ocorre no sistema neurológico humano.

Embora o seu ideal se assemelhe a histórias de ficção científica, o avanço dos estudos e das pesquisas nesse ramo já alcançaram resultados positivos e não param de se desenvolver e aperfeiçoar, assim como outras tecnologias modernas.

Estudos e linguagem

Estudos da Ciência da Computação trabalham com diferentes programas, contudo a maioria deles utiliza a mesma linguagem de sistema convencionais – o diferencial está na lógica aplicada.

É possível fazer uma programação de diferentes formas: utilizando uma lógica simples (para uma pergunta x, a resposta é y), é possível ativar um sistema inteligente. Entretanto, nos estudos em redes neurais, o objetivo é fazer com que a máquina funcione de maneira semelhante aos neurônios dos seres humanos, nos quais as informações são transmitidas de uma célula para outra e combinam dados para alcançar uma solução.

Mas as pesquisas não se limitam aos estudos do cérebro: um aspecto interessante sobre a IA é que existem diversos ramos de pesquisa dedicados a diferentes aspectos do comportamento humano e o funcionamento do nosso organismo. Profissionais que trabalham o desenvolvimento de robôs, por exemplo, se dedicam a estudar funções motoras; já em outras áreas, o objeto de atenção das pesquisas é a fala e a associação das palavras aos seus significados.

Cada estudo ou pesquisa é muito especializado, mas até o momento não é possível construir máquinas que reproduzam o comportamento e as características humanas em sua totalidade, diferentemente do que vemos nas produções cinematográficas.

Por esse motivo, muitos estudiosos desacreditam na teoria de que robôs poderão se tornar mais capazes e inteligentes do que seus criadores e se voltarem contra a humanidade, tema abordado em filmes de grande sucesso como Matrix e O Exterminador do Futuro, que geraram muitas questões relacionadas à capacidade das máquinas até para onde o desenvolvimento tecnológico poderá nos levar.

A presença da IA em nosso cotidiano

Os conceitos relacionados à Inteligência Artificial podem parecer muito futurísticos e pertencentes apenas à ficção quando, na realidade, estão mais presentes em nosso dia a dia do que imaginamos.

Um exemplo é o uso desses estudos para desenvolver videogames: atualmente, a indústria dos jogos investe cada vez mais em tecnologia para apresentar resultados complexos e realistas, impressionando os jogadores. Para permitir que os personagens caminhem, corram ou exerçam qualquer outra atividade semelhante a um ser humano real, técnicas de sistemas inteligentes são utilizadas.

Outro exemplo muito comum são as câmeras fotográficas e aplicativos para edição de fotos, que atualmente contam com ferramentas das quais permitem o reconhecimento de rostos, detectam expressões faciais e oferecem alternativas, como o foco automático na hora de fotografar.

Até mesmo os corretores ortográficos presentes nos celulares e computadores modernos contam com um sistema inteligente que detecta problemas de sintaxe nas frases e oferecem opções de correção.

O uso de chatbots

O chatbot é um programa de computador cujo objetivo é responder perguntas de maneira similar à conversação humana. Quando o internauta envia uma questão, o programa consulta uma base de dados e conhecimentos para fornecer uma resposta imediata, sempre tentando imitar o comportamento humano.

Veja algumas das principais aplicações dos chatbots:

  • Possui chats automatizados, muito utilizados em lojas virtuais e outros serviços online.
  • Desempenha diversas funções no e-commerce.
  • Presta auxílio para o navegante e fornece instruções sobre o site.
  • Realiza transações.
  • Responde perguntas do FAQ.
  • Consulta notícias.
  • Cumpre a função de hostess para sites.
  • Pode ser utilizado como entretenimento.
  • Acessa o banco de dados.
  • É possível utilizá-lo como um assistente pessoal.

Entre as principais vantagens que os chatbots podem oferecer, citamos:

  • Responde de forma automatizada e imediata aos usuários.
  • A manutenção do conteúdo é simples.
  • Diminui gastos com call center e SAC.
  • É possível integrar os chatbots a aplicativos e redes sociais, como o Facebook Messenger.
  • É uma ferramenta muito útil para otimizar a comunicação entre empresas e clientes.

A Inteligência Artificial já está presente em nosso cotidiano e podemos esperar muitas evoluções nesse ramo para os próximos anos. Afinal, tudo indica que a era da tecnologia está apenas começando.

Felipe Volpato

Felipe Volpato

Fundador, CEO da Globalbot.