chat bot-robôs-atendimento

Chatbot para smartphones: a solução dos seus problemas na palma da sua mão

O chatbot é um aplicativo desenvolvido para simular a interação humana por meio da inteligência artificial. Ele é a solução dos seus problemas porque facilita muito a interação homem-máquina.

Quem nunca tentou usar um simples totem de localização em um shopping center e teve extrema dificuldade em pressionar botões, acionar menus ou entender as instruções visuais obtidas? Isso numa tela grande e num lugar estático. Agora transfira esse ambiente para o seu smartphone.

Por mais que as telas desses aparelhos sejam de boa qualidade, com tamanho e resolução, ainda é complicado navegar por menus e mais menus até encontrar o que se deseja. Nesse cenário, o chatbot é a solução dos seus problemas porque torna esse processo muito mais amigável e intuitivo.

Pergunte que ele responde

Quem nunca teve dificuldades em encontrar uma configuração em um smartphone ou deixou de lado algum aplicativo por ser pouco intuitivo.

Com o chat bot, você abre uma linha e digita a sua pergunta. Ou, ainda, abre o microfone do aparelho e vocaliza a sua questão.

Você pode dizer: qual o preço dos ingressos para o show de sexta-feira? E o aplicativo vai realizar a pesquisa e apresentar uma resposta. Se a pergunta for ambígua ou necessitar de detalhes adicionais, o aplicativo é capaz de perguntar ao usuário o detalhe que falta e continuar a pesquisa.

Essa interação pode ocorrer por tempo indeterminado até que o usuário receba aquilo que busca.

Isso só está sendo possível graças ao grande avanço obtido nos últimos tempos em duas áreas específicas; a da inteligência artificial e o que é conhecido como machine learning, algo como aprendizado de máquinas em uma tradução livre.

Inteligência artificial e machine learning

Os primeiros chat bots eram bastante limitados porque a inteligência artificial por trás deles não permitia grandes interações. O usuário precisava fazer perguntas que combinassem exatamente com alguma das opções previamente gravadas e o reconhecimento de voz também falhava bastante em compreender o que foi dito.

Longe de ser a solução dos seus problemas, esses primeiros aplicativos eram muito bonitos de se ver em demonstrações, mas pouco úteis na vida real.

Com o desenvolvimento de algoritmos avançados de inteligência artificial, o chatbot se tornou capaz de “ler” partes específicas da pergunta feita e “entender” aquilo que foi perguntado. O índice de acerto nas respostas chegou a um nível aceitável e daí para frente o desenvolvimento aconteceu rapidamente.

O segundo grande responsável por transformar esse aplicativo na solução dos seus problemas é o machine learning. Graças à essa tecnologia, o chatbot se tornou capaz de melhorar sua performance com o tempo. Utilizando as perguntas prévias e como cada resposta serviu ou não ao usuário, o sistema é agora capaz de aprender com seus erros e acertos, ficando cada vez mais eficiente.

Quase humano

A utilização de robôs ainda é malvista pela sociedade em geral, muito pela frieza típica das máquinas, que só conhecem a lógica. Apesar disso, a solução dos seus problemas na palma da mão tem se mostrado até mais atraente do que a interação com humanos reais.

O tempo de espera nos call centers, a falta de habilidade ou de conhecimento dos atendentes e, até mesmo, a maior introspectividade das pessoas modernas tem tornado o chatbot um grande sucesso.

Por outro lado, graças aos modernos sistemas de inteligência artificial e machine learning, esses sistemas conseguem imitar de forma bastante competente o comportamento humano.

Esqueça as repostas sem nexo ou a irritante quantidade de mensagens do tipo “não entendi o que disse” ou “queira repetir sua pergunta”. Esses aplicativos se tornaram a solução dos seus problemas justamente devido à sua incrível capacidade de adaptação e de variantes na hora de extrair do usuário aquilo que ele realmente deseja.

O fim dos apps?

Ainda não será dessa vez que os apps vão deixar de existir. O chatbot é uma solução dos seus problemas, embora não seja a única. Claro que muitos aplicativos, como os de previsão do tempo ou muito específicos acabarão sendo substituídos ou esquecidos.

O usuário sempre vai preferir solicitar ao bot o que ele quer fazer e esperar por uma resposta, mas atividades mais específicas e especializadas ainda acontecerão pelos apps.

A solução para o futuro próximo parece ser um modelo híbrido, onde apps serão selecionados para uso pelos robôs e não necessariamente pelos usuários. Isso também vai favorecer os usuários e até os fabricantes de smartphones, já que os aparelhos não precisarão armazenar tanta informação, apenas lidar com diálogos temporários.

Muitas empresas já estão de olho na tecnologia chatbot e estão se preparando para lucrar com isso, seja nos desenvolvimentos voltados para a aplicação, seja na integração dos seus sistemas atuais para as tendências do mercado.

A solução dos seus problemas já está na palma da sua mão e todos estão concorrendo para fazer parte dela.

Ariane Souza